It's All for L.O.V.E.

Quem Nos Visita?


Visitor Map

terça-feira, 18 de março de 2014

Propriedade de Michael Jackson diz Wade Robson demorou muito tempo para acusar cantor

O coreógrafo Wade Robson disse que ele esperou anos para registrar uma reclamação de abuso sexual contra a Propriedade de Michael Jackson em razão da memória reprimida, assim diz o advogado da propriedade que quer o caso encerrado.
Robson entrou com uma reclamação contra a Propriedade de Michael Jackson pedindo $$$ com base em sua alegação de abuso sexual, mas o advogado da Propriedade Howard Weitzman foi acionado nos documentos legais e Wade deveria ter acionado o caso há 4 anos atrás. Weitzman diz que para prosseguir com a reivindicação, Wade deveria ter apresentado o seu caso dentro dos 60 dias que a Propriedade de MJ estave no tribunal de sucessões e praticamente todo mundo sabia sobre este prazo, uma vez que, foi notícia em todo o mundo. Weitzman disse que realmente Robson admitiu em depoimento que sabia sobre a disputa da tutela envolvendo os filhos do Michael em 2009 e por isso a sua alegação de ignorância não se sustenta.
Robson afirma que ele atrasou na apresentação de sua reivindicação por causa da memória reprimida. Um juiz ainda não se pronunciou sobre o direito de Robson para pressionar uma reclamação. Como já relatado, Robson primeiro partiu para a ofensiva no última ano, alegando que MJ teria “realizado atos sexuais em mim e me obrigou a realizar atos sexuais sobre ele” a partir de 7 anos de idade até ele completar 14 anos. Wade já havia negado que MJ o molestou durante o julgamento por abuso sexual do cantor de 2005, mas disse que o antigo testemunho era uma mentira e que Michael havia se envolvido em uma campanha de manipulação para mantê-lo em silêncio. Robson está exigindo dinheiro da Propriedade de Michael Jackson como compensação para o alegado abuso.

Prince Jackson passeia com a namorada Nikita Bess

Prince Jackson foi visto com a nova namorada Nikita Bess em Santa Mônica no dia 14/02/14.

Prince Jackson sai abraçado com Nikita Bess

Prince Jackson não foi mais visto com a namorada Remi desde outubro. E parece que Prince já terminou seu romance com a princesa do Kuwait, julgando pelo fato de que ele parecia particularmente acolhedor, enquanto saia com uma amiga misteriosa na quinta-feira.
O adolescente estava abraçado à jovem enquanto andavam pela rua e se dirigiam para um restaurante. Vestindo camiseta e short preto, Prince parecia de bom humor no dia em que completava 17 anos.
O passeio do Prince veio depois de postar uma mensagem no Twitter para seu pai Michael Jackson, que morreu tragicamente aos 50 anos em junho de 2009.
A homenagem de Prince para Michael foi alegadamente motivada por uma visita à antiga casa do pai no início do dia. Quanto à sua situação amorosa, não está clara neste momento. Prince namorou Remi por sete meses antes da última saída juntos em outubro. O casal se conheceu na escola particular em Sherman Oaks, Califórnia. Antes de namorar Remi, Prince foi romanticamente ligado a outra colega, Niki Berger, em Fevereiro de 2013.
A amiga misteriosa é Nikita Bess e ela já foi vista indo ao cinema com Paris e Blanket em 2012. E pela foto que ela postou no twitter dela, ela está namorando o Prince.

Prince Jackson faz homenagem para Michael Jackson no Twitter

Prince Jackson lembrou o pai Michael Jackson no twitter depois de completar 17 anos.
“Eu devo tudo a você. Você me deu tudo, a chance de ser o melhor e Heal the World ”curar o mundo” como você. Você nos deu esperança e a capacidade para Keep the Faith ”manter a fé”. Eu tive sorte o suficiente para aprender com uma lenda. Eu sou grato a tudo. Obrigado. Eu te amo e sinto sua falta.”

Fãs de Michael Jackson recebem indenização por sua morte

Cinco fãs do rei do pop Michael Jackson obtiveram nesta terça-feira um euro simbólico como indenização pelo “dano emocional” causado pela morte do cantor em 2009, ante um tribunal francês.
Os cinco faziam parte de um grupo de 34 pessoas que entraram na justiça contra o médico Conrad Murray, condenado a quatro anos de prisão nos Estados Unidos pelo homicídio culposo do astro. O juiz do tribunal de Orleans (centro) considerou que essas cinco pessoas, originárias da Suíça, Bélgica e França, provaram o “sofrimento” causado pela morte. “Esta é a primeira vez, que eu saiba, que é reconhecido o conceito de dano emocional em conexão com a morte de uma estrela pop”, comentou seu advogado, Emmanuel Ludot, em entrevista à AFP. O advogado também comemorou o “fato de ter ido até o fim com o processo, apesar das zombarias”. Esse precedente é ainda mais notável, de acordo com o advogado, dado que “a ligação emocional não era de mão dupla, os fãs amavam Michael Jackson, mas ele não os conhecia pessoalmente”. Os cinco provaram seu “sofrimento” por meio de testemunhas e atestados médicos, detalhou o advogado. Entre os queixosos, está Myriam Walter, presidente do fã clube “Michael Jackson Community”, com sede em Montargis (centro da França), que deu início ao procedimento, mas que não foi agraciada pela “indenização”. Na prática, se o 1 euro simbólico não for pago por Murray, que foi libertado no ano passado, “o reconhecimento do estatuto de vítima vai permitir que meus clientes solicitem o acesso ao túmulo de Michael Jackson em Los Angeles, que está fechado para o público”. Michael Jackson morreu em Los Angeles em 25 de junho de 2009, aos 50 anos de idade, de uma overdose de propofol, um anestésico poderoso utilizado como sonífero, com a ajuda de seu médico.