It's All for L.O.V.E.

Quem Nos Visita?


Visitor Map

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Promotor David Walfren inicia o julgamento da morte

O promotor David Walfren, logo na abertura, entregou uma declaração usando um gráfico para detalhar um corpo que parece ser o de Michael Jackson em uma maca.



Michael Jackson confiou sua vida nas mãos do médico Dr. Conrad Murray, o que foi uma “equivocada confiança”. A causa da morte foi uma overdose de Propofol administrado pelo Dr. Murray.

Vamos provar que o Dr. Conrad Murray repetiu por várias vezes com negligência grosseira e incompetência.

Walgren, explicou que Dr. Murray ganhava mensalmente US$ 150.000, ou seja, exigiu US$ 5 milhões para o tempo de duração da turnê “This Is It”.

Dr. Murray negociou com uma farmácia para comprar grandes quantidades de Propofol de forma regular.

Dr. Murray mentiu para o farmacêutico dizendo que ele tinha uma clínica em Santa Mônica, sendo que ele não tinha.

Em 10 de maio de 2009, Dr. Murray fez uma gravação da voz de Michael Jackson em seu iPhone… Este vídeo documenta fala de Micahel Jackson sobre a influência de “agentes desconhecidos” . Isto mostra que o Dr. Murray sabia do estado de Michael Jackson e sabia o que ele estava fazendo para o cantor.



Nas semanas que antecederam a morte de MJ, ele estava frio, com tremores, devagar, mas DR. Murray manteve dando-lhe Propofol, e Kenny Ortega irá testemunhar que Michael Jackson estava claramente mal.

Uma reunião foi realizada na casa em que Michael morreu em 20 de maio de 2009, com Kenny Ortega, Dr. Murray, MJ e outros. Dr. Murray repreendeu Ortega quando ele expressou suas preocupações sobre sua saúde de MJ, e Dr. Dr. Murray disse-lhe: “Michael está fisicamente e emocionalmente bem. Eu sou o médico”.

No dia em que MJ morreu, era 01:00 da madrugada quando MJ chegou em casa depois de ensaiar e Dr. Murray passou a noite na casa, como fazia todas as noites anteriores (02 meses e meio) com a finalidade de colocá-lo para dormir com Propofol.

Walgren reconheceu que o TMZ divulgou quase tudo que aconteceu desde o começo, quando Michael morreu em seu leito, que ele estava clinicamente morto quando os paramédicos chegaram a sua casa.

Dr. Murray escreveu mensagens de texto e fazer chamadas telefônicas, enquanto ele se sentou ao lado de MJ. Ele fez oito telefonemas, o último às 11:51 para uma namorada, e foi quando Dr. Murray percebeu que havia uma emergência. Então Dr. Murray chamou o segurança Alberto Alvarez e disse que Michael Jackson tinha tido uma “reação negativa”.

Dr. Murray instrui Alvarez a esconder todas as provas dentro de um saco azul entre outras coisas, a garrafa de Propofol que estava pendurada no suporte IV.

Walgren implica que a garrafa continha à dose fatal. O 911 foi chamado às 12h20.E, Walgren diz que, quando os paramédicos chegaram, MJ estava morto.

Dr. Murray nunca disse aos paramédicos que deu Propofol para MJ, mesmo quando foi perguntado sobre administração de outros medicamentos pelos paramédicos.

MJ foi pronunciado morto no local, mas o Dr. Murray insistiu que ele deveria ser levado ao para o UCLA.

No UCLA perguntaram ao Dr. Murray que tipo de medicamento ele havia dado ao MJ, mas Murray nunca mencionou o Propofol.

Dois dias depois da morte de MJ, Dr. Murray se encontrou com os detetives da polícia de Los Angeles, e contou que ele estava dando todos os dias doses de Propofol a mais de dois meses no horário noturno para ajudar MJ a dormir.

MJ disse para o Dr. Murray umas 05 horas antes de morrer que ele precisava dormir e eles concordaram que o Propofol seria a solução.

Dr. Murray disse que deu para o MJ 25 miligramas de Propofol, mas isso só iria fazê-lo dormir por alguns minutos.

Os promotores dizem que foi administrado muito mais Propofol.

Dr. Murray explicou à polícia, que ele foi ao banheiro para urinar, voltou dois minutos mais tarde e descobriu que MJ não estava respirando.

Ministério Público chamou esta situação de “abandono”, deixar um paciente sozinho é abandono médico.

O promotor disse que o Dr. Murray estava ao telefone durante 45 minutos depois de dar a MJ o Propofol.

Conrad Murray agiu com negligência grosseira e não estava interessado no bem estar de MJ .. .Ele estava trabalhando para ganhar $ 150.000 por mês.

MJ_Speechless

Nenhum comentário:

Postar um comentário