It's All for L.O.V.E.

Quem Nos Visita?


Visitor Map

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Dr. Freeze Faz Revelações Sobre o Próximo Álbum de Michael Jackson



Quatro membros do fórum MJFrance conseguiram entrar em contato com Dire Elliott, mais conhecido sob o nome de Dr. Freeze, o produtor de Break Of Dawn (Invincible), A Place With no Name e Blue Gangsta.

Dr. Freeze trabalhou em estúdio com Michael Jackson e deu, em uma entrevista exclusiva, uma notícia muito interessante para os fãs. Fique por dentro das gravações secretas do Rei do Pop nesta entrevista em três partes. A primeira parte: Dr. Freeze faz revelações sobre o próximo álbum...

Quagmire: Estou ansioso para saber como você começou a trabalhar com Michael Jackson e como ele entrou em contato com você.

Dr. Freeze: Eu conhecia seu empresário, John McClain, e eu estava trabalhando em um álbum com os meus sócios, os Spydermann. Após finalizar o álbum, não ficou como planejado e tivemos que cancelar o lançamento. Fiquei muito chateado. E então John McClain disse: "Não se preocupe Freeze. Eu tenho um outro projeto para você. Eu vou estar no negócio com Michael", eu disse: "Michael ... quem", e ele disse: "Michael Jackson." Eu não acreditei no primeiro momento, pensei que era loucura! E então um dia eu estava no telefone com meu pai e alguém me ligou na outra linha ... e era Michael! Foi assim que tudo começou. Eu tinha algumas músicas e as apresentei a Michael. Ele as adorou! Porque Michael e eu temos um som muito próximo. Então, toda vez que eu propunha algo, era fácil para ele estudar a música porque era como se ele já a conhecesse. Eu lhe perguntei sobre as músicas e ele disse que havia adorado. Foi assim que nos conhecemos.

Q: Falando de Break Of Dawn, que é uma grande canção. Eu acho que é uma das músicas mais sensuais que ele já fez e é isso que eu queria ouvir de Michael. Eu não sei se você sabe, mas esta é a primeira vez que ele fala sobre fazer amor em uma canção. Eu não sei se tinha abordado esta questão com ele.

F: (risos) Sim, obrigado. Era sua canção favorita. Era o seu bebê.

Q: Você se lembra do número exato de canções que você apresentou a ele?

F: Eu lhe apresentei diversas canções. As músicas principais em que trabalhamos foram Break Of Dawn, A Place With No Name e Blue Gangsta. Estas três músicas foram as nossas prioridades. Break Of Dawn é uma das que tinham sido finalizadas. Outras foram liberadas mais tarde. Elas estão guardadas em um lugar.

Q: Então você sugeria músicas e Michael dizia se gostava de alguma em particular. Pelo que entendi, ele amava Break Of Dawn e a partir daí decidiu concentrar-se nesta canção em particular. O que aconteceu depois?

F: Nós estávamos gravando, nós mudamos de estúdio, re-registramos a música, gravamos mais músicas. Você sabe, A Place With No Name e Blue Gangsta foram gravados ao mesmo tempo. Existem também algumas outras que eu não posso falar agora. Mas outras músicas foram gravadas. Nós guardamos várias, mas estas três canções foram os nossos três objetivos principais.

Q: Qual foi sua atitude no primeiro dia no estúdio com ele? Como você se sentiu?

F: Foi bastante assustador para mim! Senti que estava de volta à escola primária e não sabia nada sobre produção! Com Michael eu re-aprendi tudo. Os outros produtores e eu éramos como estudantes enfrentando um professor. Com o Michael, era como se soubéssemos nada mais além do nosso negócio: nós tivemos que começar de novo e reaprender tudo. Ele nos ensinou a fazer tudo da melhor maneira possível: Michael era um perfeccionista e nós tivemos que começar do zero para produzir a música da melhor maneira possível. Eu estava muito nervoso, muito nervoso, mas muito honrado! Enfim, Michael estava mais nervoso com você do que você estava com ele. Eram simplesmente as pessoas mais maravilhosas com as quais você jamais poderia sonhar em trabalhar junto. Foi ótimo! Ele sabia tudo sobre a indústria da música, tudo sobre tudo, nada era estranho a ele, e ele me ensinou muito. Ele era muito humilde e criativo. Foi muito bom trabalhar com ele.

Q: Então você propôs Break Of Dawn e depois teve de refazer a canção inteira a partir dos conselhos dele?

F: Não, ele só tinha que gravar os vocais ... e adicionar a sua magia! Era como se flores e árvores crescessem na música! Ele a tocou e a tornou mágica! Eu fiquei chocado!

Q: Então, toda a parte musical e as letras foram feitas com antecedência?

F: Sim, ele adorava a música! Ele quis deixar como estava! O que eu tinha feito nesta música ninguém tinha o direito de mudar, porque Michael queria mantê-la com a visão de sonho que teve na primeira vez que a ouviu, ele queria recriar esse sonho na canção até o último detalhe. Ele não queria mudar nada, queria manter a magia da música absolutamente intacta. O que você ouve no Invincible é exatamente a versão que eu tinha dado a ele antes que ele gravasse a voz.

Q: Quanto tempo demorou para gravar a música?

F: Ele levou tempo porque queria ter muita força na voz, principalmente na harmonia que você ouve no refrão. Levou tempo. O processo acontecia no estúdio como se estivéssemos gravando um filme!

Q: Naquela época, ele também trabalhou em outras canções de Invincible?

F: Sim.

Q: Então ele gravou sua voz, ouviu, fez os arranjos, passou a trabalhar em outras músicas e retornou poucos dias depois para gravar mais?

F: Sim, era um trabalho artesanal. Às vezes, ele gravava os vocais, às vezes era apenas o refrão ou de improviso ... Ele também ouviu as diferentes mixagens e mudou alguns detalhes aqui e ali. Ele estava em pleno processo criativo. Nós queríamos que a música fosse perfeita, e voltando para a minha analogia com o filme, era um pouco como um diretor que procura melhorar o seu filme, alterando o roteiro ou mudando os atores. O tipo de processo que ele usou para criar essa música é, em geral, o processo que ele usou no álbum Invincible.

Q: Então, basicamente, ele mudou um verso, começou a trabalhar em outra canção, e poucos dias depois, ele te encontrou para mudar a música de novo?

F: Sim. Quando ele voltou, alterações foram feitas e idéias foram propostas - ele escutou atentamente. Em última análise, todas as decisões eram dele. Ele era o chefe. Foi aberto a qualquer crítica ou sugestão benéfica para a música, contato que mantivesse a sua eficácia. Tudo o que lhe interessava era ter hits no topo.

Q: Quem teve a idéia de recriar A Horse With No Name, do grupo América?

F: Foi minha idéia. Mais uma vez, eu fiz toda a parte musical e ele só tinha de aprender as letras. Foi gravada ao mesmo tempo que Break Of Dawn, mas não é tão extensa como esta. Ele continuou a trabalhar nela mais tarde e ela melhorou gradualmente.

Q: Foi planejado para o álbum Invincible ou outro projeto?

F: Inicialmente, estava previsto para Invincible, sim. Como não entrou para este álbum, ficou guardada, como Blue Gangsta.

Q: Em comparação com o trecho que vazou na internet, podemos esperar uma mixagem diferente?

F: Sim, o que você ouviu é uma mixagem antiga. A que você vai ouvir em breve é completamente nova.

Q: Você disse "em breve"? Estou curioso para saber mais!

F: A Place With No Name e Blue Gangsta estarão no próximo álbum de Michael. A Place With No Name será diferente da versão vazada na internet, ela será atualizada. Para Blue Gangsta, eu regravei o instrumental. Então esperem mudanças.

Q: Você finalizou essas músicas com Michael enquanto ele estava vivo?

F: Claro que sim, já haviam sido finalizadas.

Q: Quais são seus sentimentos em relação a Michael, depois de passar um tempo com ele no estúdio?

F: Ele me ensinou não só como criar música de forma correta, mas ele também me deu conselhos sobre a indústria da música como um todo. Minha impressão principal é de que ele era um gênio absoluto. Tive a sorte de aprender com um dos maiores. Eu tento aplicar o seu conselho nos projetos que faço hoje. Eu tento manter vivo em mim o espírito artístico de Michael Jackson. É como se eu tivesse me formado na faculdade de música "Michael Jackson". Enfim, voltando à sua pergunta, a palavra "sentimento" é muito pequena. Não há palavra forte o suficiente para descrever o que eu aprendi e vivi com o Rei do Pop.

Q: Você tem alguma história engraçada sobre as gravações no estúdio?

F: Na verdade não. Eu me diverti muito trabalhando com ele. Michael era alguém que gostava de fazer piadas engraçadas. Ele falava sobre bandas, videogames, etc. Então retomava o seu trabalho e ficávamos maravilhados com sua performance. Acontecia assim.

Q: Ele aqueceu muito a voz para gravar a canção?

F: Nós nunca o vimos fazer exercícios vocais, mas quando ele entrava no estúdio para gravar, ele se colocava diante do microfone e incendiava a música. Quando ele ia embora, o estúdio ficava em cinzas e nossos queixos no chão. Foi realmente impressionante de se ver.


Segunda parte: Dr. Freeze e o material inédito...

Quagmire: Como eu disse anteriormente, Break Of Dawn contém palavras muito específicas. É muito sensual e é a primeira vez que ele fala sobre fazer amor. Como ele se sentiu em relação à isso durante as gravações, em que estado de espírito ele estava? Houve algum pedido especial durante essas sessões?

Dr. Freeze: Não, ele só me disse que adorava a música. Eu não lhe dei ordens, ele sabia exatamente o que fazer. Ele assumiu o controle do avião, eu só estava decolando.

Q: Basicamente, ele dizia: "Vamos gravar este verso novamente, Ell..." Aliás, ele te chamava de Elliot?

F: Não, ele me chamava de "Freeze"!

Q: E você o chamava pelo primeiro nome?

F: Claro que sim! Nós éramos íntimos. Na verdade, para ser preciso, eu o chamava pelo apelido de "Mike", em vez de Michael.

Q: Você mencionou jogos anteriormente. Você se lembra dos jogos de videogame que vocês jogaram naquela época?

F: Em sua casa havia um monte de jogos de videogame. Street Fighter, Mortal Kombat e também o Flight Simulator. Passamos muito tempo jogando.

Q: Você jogou no estúdio ou em Neverland?

F: Sim, eu fui para Neverland, para relaxar e trabalhar. Nós trabalhamos muito lá. Ele tinha um estúdio no rancho. Então, ele estava trabalhando lá e às vezes ele dizia: "Venha, vamos fazer uma pausa, Freeze! Vá se divertir um pouco, vá para a sala de cinema, vá andar em um brinquedo ou vá passear no jardim zoológico!" Neverland era um pouco como uma segunda casa para mim.

Q: Eu não sabia que vocês haviam gravado em Neverland! É interessante, porque não temos muitos detalhes sobre o estúdio de Neverland. Era um estúdio profissional?

F: Sim, totalmente, tinha um monte de equipamentos profissionais, Pro Tools, coisas assim, sabe?

Q: Ele sabia usá-los sozinho?

F: Claro, Michael era imbatível quando conversávamos sobre o estúdio.

Q: Na verdade, sabemos que ele não sabia realmente como tocar instrumentos, por isso, sempre me perguntei se ele era capaz de gravar qualquer coisa por conta própria sem a ajuda de um engenheiro de som ou produtor.

F: Ele podia fazer tudo sozinho. Você sabe, Michael era realmente um "instrumento vivo". Ele podia jogar alguns acordes no teclado. Ele também sabia como programar batidas.

Q: Voltando a Break of Dawn, você pode nos dizer por que Michael Jackson não canta o refrão dessa música?

F: Bom, porque ele gostou da minha versão do coro. Ele achou muito bonito e queria deixar tudo como estava. Ele gostou do meu canto. Ele não iria estragar, ele havia amado a minha versão. Minha marca registrada é fazer o coro de cada música que eu produzi ("Poison", "I Want to Sex You Up"). Eu sempre fiz isso, e Michael amou minha voz em Break of Dawn.

Q: De onde veio sua inspiração para as músicas Break Of Dawn, Blue Gangsta e A Place With No Name? Como é o seu processo criativo?

F: Break Of Dawn é apenas uma balada romântica que eu escrevi um dia. Para Blue Gangsta, eu queria fazer um novo Smooth Criminal. Algo mais moderno e com suas raízes na década de 2000. Foi a idéia. A Place With No Name é em si uma espécie de fuga, uma música onde basta você fechar os olhos para se encontrar imediatamente em um mundo maravilhoso. Na verdade, esta canção foi inspirada em A Horse With No Name, do grupo América. A letra desta música é muito profunda. Eu queria atualizá-la, fazer uma versão dos anos 2000.

Q: Você obteve com rapidez os direitos autorais da banda? Pediu permissão?

F: Ah sim, o grupo América amou a idéia. Eles acharam a "atualização" absolutamente fantástica. Eles estavam realmente animados com este projeto. Em comparação com o trecho que vazou na internet, Michael adicionou muitos outros sons maravilhosos à canção. É mais denso, muito mais denso. Acredite em mim, quando você ouví-la, você vai bater os pés!

Q: Então você não vai mexer nela, ela será lançada como você finalizou com ele?

F: A música será lançada na versão mais recente em que nós trabalhamos. Vai ser drasticamente diferente do trecho que vazou (Julho 2009) e muito mais grandiosa. Na verdade, essa música é muito cinematográfica, de certa forma. Teria sido uma canção perfeita para um filme como Avatar, porque nos mostra um mundo maravilhoso e estranho onde as pessoas são diferentes, mas felizes. Esta música é como uma fuga da vida cotidiana, é uma canção onde a pessoa é literalmente transportada.

Q: Sobre o remix de Blue Gangsta feito pelo Tempamental como No Friend Of Mine...

F: Este não é o nome da música, é apenas o refrão que contém estas poucas palavras. O título real é Blue Gangsta. Quando eu ouvi esse remix, eu não podia acreditar. Muitas pessoas me ligaram por causa disso e eu não entendo o que aconteceu. O problema é que eu nem sei quem lançou a música! Ela permanece um mistério. Por que eles fizeram isso? Quem fez essa música de rap? Como conseguiram a música? Na verdade, não sabíamos nada sobre esta história, eu ou o Michael. Nós realmente não entendemos de onde veio esse vazamento ...

Q: Ainda há poucas semanas, ninguém sabia também qual era a verdadeira origem desta canção, e como Michael Jackson se envolveu nesse projeto.

F: Sim, eu sei que é loucura. Nem o nome da música era bom! [Dr. Freeze cantarola o refrão da música no telefone: "You're no friend of mine, could you put me through, I'm the blue gangsta nah."] Era apenas o refrão. Isso ressalta a ignorância das pessoas que estão causando os vazamentos na internet: eles pegam a música e colocam-na online sem saber sua origem.

Q: Para os fãs, foi difícil entender o propósito. Foi estranho. Nós suspeitamos que algo estava errado, mas não sabíamos exatamente o que ...

F: Sim, a música não foi apresentada ao público como deveria ter sido. Um cara roubou a música, acrescentou um rap e balançou a rede. Eu nem fui creditado, e muito menos Michael! A música simplesmente aterrisou sem nenhuma explicação lógica...

Q: Você gravou outras músicas com Michael Jackson, além destes três?

F: Nós fizemos algumas outras canções, eu não acho que finalizamos. Eu não sei se posso falar mais sobre isso.

Q: Em geral, quantas músicas você compôs para o Michael?

F: Ah, cerca de trinta canções, e eu guardei cinco ou seis para gravar especificamente com ele.

Q: E você tem essas músicas em sua posse hoje?

F: A maioria das músicas está nos cofres agora. Nós não temos nenhum controle. Mantêm-se tudo trancado.

Q: Então são de responsabilidade do Espólio?

F: Sim, absolutamente. John McClain é responsável por elas.

Q: É o chefe!

F: Sim, o chefe!

Q: Você conseguiu ouvir as músicas novas?

F: Sim, eu pude ouvir a maioria deles. Mas eu não posso dizer nada, desculpe. Eu não estou autorizado a revelar nada.

Q: Bom, nós podemos fazer um jogo. Eu dou-lhe os nomes das músicas, e você me diz se escutou ou não. Você já escutou Escape?

F: Escape? Não conheço.

Q: Fear, Face, lhe lembram alguma coisa?

F: Não, nada.

Q: Você já escutou Do You Know Where Your Children Are?

F: Eu escutei no estúdio.

Q: Crack Kills?

F: Nunca ouvi falar desta.

Q: E Gloved One?

F: Não.

Q: Na verdade, seria mais fácil se você nos desse alguns nomes ... Você poderia nos dar o nome de uma faixa inédita que você se lembra particularmente e falar um pouco sobre ela.

F: Há uma música que fizemos juntos, mas eu não sei se ele completou os vocais. É chamada Rise Above It All. É uma música que eu escrevi e que gravamos.

Q: Qual o tema dela?

F: É uma canção otimista, dançante. Se você se sentir mal em relação ao que está acontecendo de errado no mundo, seja positivo e tente ser o mais feliz possível, deixando de lado todas as coisas negativas. Superar a negatividade, ir além das desgraças do mundo, todas as guerras, as crianças morrendo de fome e todas as coisas ruins. Ajuntai-vos, levante as mãos para o céu e liberte-se de tudo. É uma pequena música-tema. Eu não posso dizer se ele completou a canção, mas em todo caso, trabalhamos nela. Há outras canções em que ele colaborou. A maioria dessas músicas são mid-tempo, mas não posso dizer mais nada.

Terceira Parte: Dr. Freeze: "Conhecer Michael foi como conhecer o Capitão Kirk!"

Quagmire: Você já conversou com John McClain sobre as músicas que você gravou com Michael e o que ele pretende fazer com elas?

Dr. Freeze: Não. É difícil entrar diretamente em contato com John McClain, ele é muito ocupado. O assunto ainda não foi abordado.

Q: Como você sabe que A Place With No Name e Blue Gangsta estarão no próximo álbum?

F: Isso eu sei. Está confirmado.

Q: Ótimo, estamos ansiosos por isso! Você pretende remixar a canção Blue Gangsta, atualizá-la?

F: Na verdade, Blue Gangsta já foi atualizada. Eu já fiz isto, a canção está concluída e pronta para sair. Ela será completamente diferente da versão que vazou na internet. Está perfeitamente calibrada para entrar nas discotecas. Soa muito européia, no estilo das produções do Kraftwerk.

Q: Você vai manter a base da música? [Quagmire canta um trecho]

F: Claro, é a mesma música, mas soa mais moderna.

Q: Você acelerou o ritmo?

F: Não, não. Tudo é exatamente o mesmo.

Q: [confuso] Ok. Então, para resumir, você acabou de adicionar alguns sons extras e fez algumas alterações "cool"?

F: Exatamente. Para fazer uma analogia, é como se o filme tivesse sido gravado e então transformado para o formato 3D.

Q: Você filma suas sessões de gravação?

F: Não, não era permitido câmeras. Você sabe, ele não gostava de ser fotografado e filmado no estúdio. Portanto, era proibido.

Q: No início da entrevista, você disse que ele programou batidas e tocou o teclado na sua frente. Você pode nos dizer mais?

F: Às vezes, as canções se criavam naturalmente, e quando eu ouvia ficava atordoado. Essencialmente, eram apenas idéias lançadas aqui e ali, em função da emoção que ele sentia no momento. Foi parte do processo criativo e ele adorou. O dia inteiro, ele criava sons, melodias, harmonias. Foi uma experiência maravilhosa para mim. Eu aprendi muito com ele.

Q: Em que estúdios vocês gravaram desta vez?

F: Nós gravamos em vários estúdios. Às vezes, em Nova York, às vezes, na Califórnia. Passamos muito tempo no rancho. Na verdade, a escolha dependia essencialmente de onde estava o estúdio. Nós fomos do Hit Factory, em Nova York ao "Record One" em Los Angeles. Também usamos o estúdio de John McClain e o de Neverland.

Q: Há alguma coisa gravada em Neverland que foi utilizada na mixagem final de alguma música?

F: As minhas composições foram todas finalizadas em grandes estúdios. Mas ele gravou músicas com outros produtores em Neverland. Infelizmente, não posso lhe dizer exatamente quais músicas. Ah sim, lembro-me de uma música que está presente em seu último álbum. É chamada Hollywood, eu acredito, e eu lembro que ele tinha trabalhado nela em Neverland.

Q: Então ele trabalhou em outros projetos quando você estava lá?

F: Sim, ele estava trabalhando em outras músicas. Às vezes ele pedia a minha opinião. Mas hey, eu não estava sozinho. Havia alguns outros produtores que estavam com ele também.

Q: Quando você terminou as gravações com ele, você sabia que estava acabado ou você esperava que ele fosse voltar a trabalhar em outras canções?

F: Desde que começamos a gravar juntos, eu sabia que eu iria me dedicar totalmente. Eu só queria trabalhar com Michael. Eu havia prometido nunca trabalhar com ninguém. Foi um trabalho integral: eu trabalhei com ele durante anos. Eu estava no estúdio com ele pouco antes de sua morte.

Q: Você estava no estúdio com ele pouco antes de sua morte?

F: Na verdade, nós conversamos muito e nós estávamos prestes a entrar no estúdio. Para ser preciso, eu lembro de ter ido vê-lo em sua residência em Las Vegas, e havia um estúdio lá. Foi pouco antes da partida dele.

Q: Você gravou alguma coisa?

F: Não, nada foi gravado, só pensamos no assunto. Estávamos prestes a iniciar uma sessão: estávamos prontos e preparamos o equipamento do estúdio. Eu ofereci algumas músicas novas que eu tinha escrito especialmente para ele. Ele as amou, queria muito gravá-las, mas então ele morreu.

Q: Você falou com ele sobre seu próximo álbum? Ele disse quando queria lançá-lo?

F: Não, nunca discutimos esta questão.

Q: De volta à Blue Gangsta, você teve a idéia do acordeão e dos assobios de Ennio Morricone?

F: Sim. Eu tive a idéia de tocar, é do filme Três Homens em Conflito [ele assobia a melodia no telefone]. Como eu disse, eu queria fazer um novo Smooth Criminal. Era o nosso objetivo: "O novo Smooth Criminal".

Q: Você se lembra de sua impressão quando se encontraram pela primeira vez? Ele era como você imaginava? Você ficou surpreso ou desapontado com ele?

F: Eu sabia que Michael era uma das pessoas mais humildes que se podia encontrar. Ele era meu melhor amigo, o encontro mais lindo da minha vida. É como uma reunião com o Capitão Kirk, francamente, quem não conhece o capitão Kirk? Ele era um personagem descolado, simpático e um cara legal. E o Michael era um pouco assim. Como você pode imaginar, eu sou um verdadeiro fã de Star Trek, e é por isso que eu falo do Capitão Kirk ... Conhecer Michael foi um pouco como se eu tivesse conhecido o Capitão Kirk, foi simplesmente inacreditável. Hoje, existem mais estrelas com a mesma aura. Fiquei realmente surpreso quando me encontrei com ele e meus pais estão muito orgulhosos de mim: não só eu consegui trabalhar com o Rei do Pop, mas não se limitou a uma mera relação profissional. Tornei-me seu amigo, seu melhor amigo. Eu o amo até a morte, até hoje. Éramos como irmãos, muito próximos, então sim, para resumir, o meu encontro com Michael foi como se eu tivesse feito amizade com o Capitão Kirk!

Q: Michael é universalmente reconhecido como o maior dos artistas. Você o encontrou e se tornou um de seus amigos. Você tem alguma história engraçada sobre ele que nós não conhecemos?

F: Ele era incrível, um gênio. Ela era um anjo, é também por isso que seu nome era Michael. Sim, foi realmente um anjo.

Q: Ele fazia exigências específicas nas gravações, como microfones ou instrumentos precisos? Havia alguma necessidade especial?

F: Não, ele não se importava contanto que soasse bem. Ele poderia cantar algo no notebook dele e salvar desse jeito, ele não se incomodava porque a melodia era boa.

Q: Você se lembra do microfone usado para Break Of Dawn?

F: Não. Nós usamos tantos estúdios ... É uma pergunta que você deve fazer para os engenheiros de som: cada um tinha o seu próprio equipamento e não me lembro exatamente o que eles tinham.

Q: Que engenheiros participaram das suas sessões de gravação?

F: De memória, teve o Prince Michael, Brad e Mike Dean Buxer. Teve também Bruce Swedien, é claro. Eu não trabalhei diretamente com ele, mas eu o conheço muito bem, é muito legal. Outro gênio.

Q: Ele completou algumas de suas músicas, ou você finalizou tudo sozinho, incluindo mixagem?

F: Alguns engenheiros reformularam algumas músicas. Eu não sei quem fez a mixagem final. Eu teria perguntado a John McClain ... Eu não sei que trabalhou nessas músicas com Michael, eu não estava fisicamente presente.

Q: Qual é a coisa que mais o impressionou com Michael, artisticamente falando?

F: Michael amava seus fãs, sua música e adorava fazer música para seus fãs. Ele gostava de dar amor e alegria às pessoas. Era a sua missão. Ele era muito dedicado e leal. Era algo que queria fazer, ou que ele tinha de fazer. Ele amava as pessoas das profundezas de sua alma. E quando ele fazia música, ele fazia por nós.

Q: Qual é seu álbum favorito de Michael?

F: Eu amo todos eles. Com Michael Jackson, é impossível ter uma música favorita ou álbum. No entanto, quando eu era criança, minha música favorita era Rock With You. Eu a achei realmente surpreendente ... Sim, é definitivamente uma dos minhas favoritas.

Q: Você se lembra da sua última conversa com Michael?

F: Nós estávamos prestes a gravar o novo álbum e quando ele ouviu minhas canções ele me disse para enviá-las o mais rapidamente possível para o exterior. Ele gostou das minhas novas produções. Esta foi a nossa última conversa. Ele disse "eu te amo" e pronto, acabou.

Q: O que você quis dizer agora com "exterior"?

F: A música que eu estou atualmente lançando no exterior. Eu sigo as instruções do Michael ao pé da letra. Ele me disse para pegar este disco que fiz agora e vendê-lo no exterior, e isso é o que estou fazendo. Você sabe, ele realmente conhecia o meio, então eu segui o seu conselho. Então, aqui está uma informação que eu revelo exclusivamente: o meu álbum sairá em breve!

Q: Quando?

F: Nós planejamos o lançamento do primeiro single para a Primavera de 2011. É chamado We Are The Robots.

Q: Isso é ótimo! Obrigado por sua generosidade e pelo tempo que você nos concedeu. Todos os nossos desejos de sorte para os seus projetos futuros.

F: Obrigado.


Fonte: arquivo-mj

Nenhum comentário:

Postar um comentário