It's All for L.O.V.E.

Quem Nos Visita?


Visitor Map

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Austin Brown fala sobre sua carreira e de Michael Jackson

A próxima geração da família Jackson está pronta para deixar sua marca no mundo do entretenimento, ou seja, o filho caçula da Rebbie, Austin Brown, 24 anos, entrou para o mundo musical lançando o seu próprio álbum, “85” e sua canção de trabalho, “Target Practice”, estreando agora em austinbrown.com. Além disso, o seu primeiro vídeo do álbum foi dirigido por X-Men e Transformers co-mentor Tom DeSanto!



UsMagazine.com: O que o fez querer entrar no negócio da música?

Austin Brown: Eu sempre quis fazer as coisas de forma independente, e eu sempre fui teimoso demais para o meu próprio bem. Música significa muito para mim e eu queria saber se eu poderia fazer isso sozinho, sem ter que passar por todas as conexões. Eu segui o caminho como qualquer outra pessoa, passando por lutas e conquistas e a coisa ainda não ia bem com meu som. Estou feliz por tudo que passei, porque me fez apreciar tudo o que está acontecendo agora. As mesmas coisas que você teve lá são as mesmas coisas que espero manter aqui, me mantendo realmente concentrado e humilde.

EUA: Exatamente. Conte-me como foi crescer em sua família. Houve pressão para entrar no negócio ou foi ao contrário?

AB: Não, não. Minha mãe em particular, é uma mulher maravilhosa de muito amor e sempre fez questão de me avisar que eu não sou diferente de ninguém. Eu tive uma infância normal – eu fui à escola, tinha meus amigos, eu praticava esportes, ela me colocou nas aulas de piano, eu entrei para uma banda. Não havia mesmo qualquer tipo de pressão. A única diferença era que as pessoas viam a minha família fazer o seu trabalho, mas eu amei a minha formação.

EUA: Você cresceu ouvindo “Centipede”?

AB: (Risos) Claro! Você cresce vendo sua mãe fazer o que ela faz e amando a música, e eu era um criança orgulhosa.

EUA: Quem foi realmente o seu tio Michael Jackson?

AB: Meu tio sempre foi grande, ensinou a mim e meus primos a conhecer a estrutura da canção. Ele gostava de dividir as músicas em partes – ele sempre começava com a linha de base, e então começava a cantarolar uma melodia. Ele queria me ensinar como as coisas se encontravam como retratar a minha voz e de onde vinha a música.

O principal objetivo do meu tio era apenas o amor que ele mostrava para todos nós e como cuidar do amor, assim como ele dava este amor para as outras pessoas também. A lição mais importante que ele nos mostrou é a caridade. Tudo isso não significaria nada se você não estava dando nada em troca.

EUA: Absolutamente. Conte-nos algumas atividades pessoais que você fazia com ele? Você ia para Neverland ou jogava boliche?

AB: Sim, nós íamos a passeios, comíamos doces e assistíamos filmes. Eu sei que isto pode soar clichê, mas foi isto que acontecia como qualquer pessoa que saia com seus familiares.

EUA: Passou-se um ano desde sua morte. Ao olhar para trás o que você gostava? Deve ter sido muito trágico e completamente emocional perder alguém que foi um mentor para você?

AB: Sim, até hoje é difícil para eu falar. Isto me machucou muito. O que eu vou sempre lembrar eram as lembranças maravilhosas que ele nos deu. E para mim, como uma criança, lembro-me as lições e ele me mostrou o amor – o amor incondicional.

EUA: Como estão os seus filhos? Eles seguiram o lado musical?

AB: Todos os meus primos são musicais de alguma forma. Todos nós temos o erro da música e todos nós gostamos de música – cada um de nós.

EUA: Você acha que algum dos filhos do Michael vai continuar a fazer música também?

AB: Eu não tenho certeza. Acho que o foco principal é elas serem apenas crianças.

EUA: E sobre Janet? Você disse antes que estava mais próxima dela.

AB: Ela é provavelmente a pessoa da minha família que eu mais converso. Ela é realmente ótima para nos ensinar lições para nossa vida. Sempre que tive problemas na escola, problemas com meus amigos, ou apenas perguntas diferentes sobre a música, ela sempre esteve lá. Posso perguntar-lhe qualquer coisa, e ela estará sempre lá para me ouvir. Não houve nenhum momento da minha vida que ela não foi ou não esteve lá por mim.

Fonte: MJ_Speechless

Nenhum comentário:

Postar um comentário