It's All for L.O.V.E.

Quem Nos Visita?


Visitor Map

sábado, 11 de setembro de 2010

"Eu poderia ter salvado Michael Jackson"



Conrad Murray, de 57 anos, acredita que vai sair inocente de uma acusação de homicídio involuntário por ter provocado uma overdose de sedativos em Michael Jackson.

Mas documentos obtidos sugerem que a cardiologia dos E.U.A. exige um desfibrilador, que poderia ter salvo o Rei do Pop, após a sua parada cardíaca em junho do ano passado.

Murray, que nega ter cometido qualquer irregularidade, deve ir a julgamento no próximo ano.

Ele disse a amigos: "Eu poderia ter salvado Michael se eu tivesse o material adequado. Tenho a papelada para provar isso."

O médico afirma que os seus e-mails com mais de seis semanas foram ignorados pelo promotor da AEG , como foi o seu pedido para uma enfermeira para ajudá-lo.

A prova que poderia salvá-lo da prisão surgiu numa ação movida pelo pai de Jackson, Joe de 81 anos, que alega que os chefes da AEG "agiram com negligência grosseira no que toca á vida de Jackson."

Murray alega que deu drogas a Michael para estar apto para Londres e mostra que AEG não cumpriu a sua promessa de fornecer equipamento de reanimação e uma enfermeira.

Fonte: http://mjneverland.ptforuns.com/viewtopic.php?f=10&t=2148

Nenhum comentário:

Postar um comentário