It's All for L.O.V.E.

Quem Nos Visita?


Visitor Map

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Entrevista com Kenny Ortega: Ele fez tudo Sozinho

O diretor Kenny Ortega ganhou o prêmio de Melhor Diretor do "Imagen Awards in Movie"/2010 pelo seu trabalho no documentário This Is It.


O diretor e coreógrafo Kenny Ortega foi premiado recentemente como Melhor Diretor pelo seu trabalho em "This Is It". Para homenageá-lo pelo belo trabalho, vamos publicar uma das inúmeras entrevistas dadas por ele quando do lançamento do filme, em que revela sua admiração e respeito pelo amigo e parceiro Michael Jackson.




Quando ouviu pela primeira vez a notícia da morte de Jackson, você pensou que era um boato da Internet.

Estávamos lá esperando por Michael no ensaio. Na noite anterior ele havia dito: "Vejo vocês amanhã, e eu amo todos vocês". Ele estava muito feliz. Nós estávamos ensaiando um grande momento do show e Michael estava realmente animado sobre isso: uma ilusão que tínhamos projetado em conjunto com um dos construtores de David Copperfield. Foi um grande dia para nós. Nós tivemos dois ensaios incríveis na noite anterior quando Michael tinha pisado lá. Havia uma energia nova no ambiente. Para mim, a notícia foi exatamente um colapso interno. Algumas dessas pessoas estiveram com Michael desde que ele era um menino. Você pode imaginar a dor e o choque que todos nós sentimos. Foi um difícil, triste e sombrio dia.


Jackson não queria ser apenas uma versão de si mesmo no palco. Ele está no topo de seu jogo no filme?

Oh yeah. Você vai vê-lo. É fácil. Esses dançarinos tinham metade da idade de Michael e mesmo jovens, ele ainda os deixava sem fôlego. Foi maravilhoso assistir isso. Ele era a dança. Eu nunca vi ninguém melhor do que Michael dizendo ao seu corpo para aceitar apenas a música e deixar sua alma assumir. Há momentos no filme quando ele está tocando, e é simplesmente deslumbrante.


Você já trabalhou com todos, de Gene Kelly a Patrick Swayze. Como você compara Jackson?

Patrick Swayze me fez lembrar muito de Gene Kelly. Patrick teve essa qualidade de homem comum. Gene fez de dançar uma espécie de idéia acessível ao homem comum lá fora. Eu sinto que Michael Jackson se inspirou um pouco mais na elegância de um Fred Astaire. Michael amava Sammy Davis Jr. e James Brown e Judy Garland e Fred Astaire. Mas ele não era nenhuma dessas pessoas. Para se inspirar é uma coisa, mas ele fez tudo sozinho.


A reviravolta foi bastante surpreendente neste filme, não foi?

Quando fui convidado para dirigir este, [Sony] disse que o queria para o aniversário de Michael [29 de agosto], e eu disse: "Não, obrigado. Isso não vai acontecer." Se você estivesse falando de Halloween, que era o feriado favorito de Michael, eu poderia ser capaz de me associar a isso. Começamos no final de julho, e eu entreguei o filme a eles no início de outubro. Trabalhamos sete dias por semana a cada semana. Conseguimos realizar muita coisa em um trabalho de amor ao projeto.


Isso é um monte de Red Bull.

Eu sou um homem de Diet Pepsi. E eu gosto de uma boa xícara de café forte em 14½ hora.


Você cortou 120 horas de gravação para 111 minutos. O 111 é alguma coisa da numerologia de Michael ou meramente um sinal do apocalipse Maia?

Isso é divertido. Eu gosto desse número. Michael foi único e o nº 1. Vou colocar isso no meu twitter. De onde quer que eu olhe, não há sentido a ser lido para ele. As pessoas não podem ajudar a si mesmos quando se trata de Michael Jackson.


A segurança em torno deste filme era tão pesada que guardas armados trouxeram um clipe para Oprah. Que tipo de armamento tinha na embalagem?

Eu não vi nenhum armamento na Oprah. No entanto, ela disse que tinha, não é? Sim, como se fosse um cara com uma Uzi [metralhadora] e um par de granadas de mão. Não, mas tivemos de segurança o tempo todo, sempre que estávamos transferindo algo de um prédio para outro na Sony. Toda vez que você entrava em algum lugar na Sony onde havia Michael Jackson na filmagem, era como passar pelo Departamento de Imigração.


Qual é o momento que você presenciou durante a preparação do show que você queria ter filmado?

Eu não sei se você quer ver isso no filme, mas é algo que vai passar pela minha cabeça pelo resto da minha vida. Eu estava em seu camarim uma noite debruçado sobre algumas obras de arte, e Michael estava atrás de mim dizendo meu nome, primeiro muito baixinho: "Kenny, Kenny". Eu disse: "O que você está fazendo?" Ele disse: "Eu estou dizendo seu nome. Eu estou dizendo ele certo?" Michael era de Indiana, e a maneira como ele dizia meu nome não era bem como qualquer outra pessoa. Eu acho que a razão dele ter perguntado isso foi porque eu sempre sorria quando ele falava. Eu disse: "É claro que você está dizendo o meu nome certo. Eu amo o jeito que você diz. Quando você diz meu nome, isso me faz sorrir". E ele disse: "Bom - quando eu digo Kenny, isso significa "amigo". Ele era um homem especial.


Fonte: http://mjneverland.ptforuns.com/viewtopic.php?f=49&t=1962

Nenhum comentário:

Postar um comentário