It's All for L.O.V.E.

Quem Nos Visita?


Visitor Map

sábado, 19 de junho de 2010

AEG forçou Dr. Conrad Murray sedar Michael Jackson

AEG colocou pressão sobre Michael Jackson para executar seus shows em Londres, eles efetivamente forçaram o Dr. Conrad Murray sedar o cantor pesadamente para que ele pudesse descansar, o que acabou o levando à sua morte… Isto de acordo com os documentos arquivados no Conselho Médico da Califórnia e obtido pela CNN.




Segundo a denúncia de 169 páginas, apresentado pelo advogado Brian Oxman em nome de Joe Jackson, Michael ensaiava esporadicamente para o show, não frequentando regularmente, então em uma reunião no dia 18 de junho um executivo da AEG teria ameaçado a “expulsar” Michael Jackson de sua casa alugada em LA e queimar o Dr. Murray.

A queixa alega que Murray - receberia a quanti prometida de U$ 150,000 por mês da AEG – Michael Jackson começou imediatamente se abastecer com sedativos pesados, incluindo Valium, Ativan, Versed e Propofol para que ele conseguisse dormir.

Como divulgado em primeira mão, Dr. Murray deu ao MJ, o Propofol praticamente todas as noites durante seis semanas – até que Michael morreu.

A queixa alega que AEG conhecia os perigos do tratamento de Murray, mas ordenou que ele continuasse a todo vapor. E, de acordo com a denúncia, AEG fechou os olhos para o pedido de um equipamento de reanimação feita pelo Dr. Murray.

A queixa alega que AEG efetivamente praticou medicina sem licença, forçando Murray tomar as medidas radicais para proteger a saúde do show.

A denúncia afirma: “Se AEG não tivesse viloado a lei da Califórnia e cumprido sua promessa de fornecer o equipamento de reanimação Cardio-Pulmonar e uma enfermeira, Michael Jackson não teria morrido em 25 de junho.”

Fonte: http://mjneverland.ptforuns.com/viewtopic.php?f=10&t=1495

Nenhum comentário:

Postar um comentário