It's All for L.O.V.E.

Quem Nos Visita?


Visitor Map

sábado, 13 de março de 2010

Primeiro bailarino a ser escolhido em This is it, fala de Michael Jackson

Kriyss Grant, o primeiro dançarino que Michael Jackson escolheu, fala da experiencia, exatamente um ano depois que Michael esgotou os 50 concertos para O2 Arena de Londres.



Aos 21 anos de idade, Kriyss Grant conseguiu um sonho e uma grande oportunidade.
Quando adolescente , as 16 anos trabalhou com P Diddy . Aos 20 anos ele foi contratado por Beyonce Knowles para coreografar sua "I Am ..." tour. Hoje ele é conhecido mundialmente como um dos bailarinos princípais de Michael Jackson para This Is It shows.

Sua grande chance veio logo após deixar o 'Making the Band " de P Diddy, quando ele teve um encontro casual com o coreógrafo Frank Gatson.

"Eu estava em Nova York e eu comecei recentemente tinha saido do show", lembra ele.
"Frank e eu corremos na direcçao um do outro numa loja.
Ele disse: 'Você não é Kriyss de Making the Band? Você tem tanto talento, não sei porque é que Diddy chutou você da tour. Então, nós trocados contactos e ele manteve-se em contato comigo."



Audição para This is it

Vendo a escala da audição foi intimidante, diz Grant. "Eu estava muito calmo. Eu estava nervoso, mas eu estava muito focado no que eu tinha que fazer. Eu só queria apressar e acabar logo com isso, basta executar e dar o meu melhor. Mas assim que eu fiz um teste pela primeira vez foi tão bom que eu só queria continuar fazendo aquilo. "

Grant navegou através da primeira audição e foi convidado para regressar, onde Jackson assistiu da platéia e escolheu a dedo os seus dançarinos principais. Mas Grant diz que ele não deixou que a presença de Jackson o fizesse deitar tudo a perder.



"Fiquei muito empolgado com a coisa toda - sobre ele estar lá - mas uma vez que a música entrou em campo, e estava na hora de dançar, eu só deixei-me ir. Quando eu actua jogo tudo pela janela por isso era tipo como se ele não estivesse lá. Então, depois quando terminei eu estava como 'OK, eu espero que ele tenha reparado, e espero que ele tenha gostado ".

E assim foi. Segundo Travis Payne, Grant foi o primeiro dançarino selecionado por Michael Jackson, exclamando: "Olha aquele palhaço!" Após os dançarinos principais serem anunciados, eles tiveram a oportunidade de conhecer o seu herói.

O primeiro encontro com Michael

"Ele apertou as nossas mãos e tudo mais. Ele tem as mãos muito grande", disse Grant, que ainda fala sobre Jackson no tempo presente, de tempos a tempos, corrigindo-se em silêncio quando ele percebe. "Ele era como uma estátua. Sua presença era tão surpreendente e eu simplesmente não podia acreditar. Eu queria chorar, mas não consegui porque meu corpo estava em choque.

"Michael disse: 'Você é maravilhoso', e ele me deu um aperto de mão tão forte que eu nunca vou esquecer. Nunca pensei que esse dia chegaria, sabe? Ser um garotinho e esperando e sonhando com o encontro com este homem e nunca pensar que você está indo para lá chegar. Mas quando eu finalmente consegue - havia apenas um sentimento como aquela. Não posso expressar o que senti. "

Trabalhar com Michael

Os ensaios de dança começaram a semana seguinte, e foram "intensos", diz Grant, com apenas um dia de folga por semana. O grupo ensaiou sem Jackson por várias semanas, aperfeiçoar rotinas antes de se juntaram a ele no palco.
"Gostaríamos de aproveitar o tempo de vínculo com os outros, apenas construir a química entre todos nós para que pudéssemos estar bem juntos no palco. Michael aparecia de vez em quando para nos ver e nos dar um feedback aqui e ali, mas ele era muito tímido no começo."



"A primeira coisa que ensaiamos com o Michael foi "They Don't Really Care About Us" e muitos de nós estávamos atrapalhados porque não conseguiamos parar de olhar para ele. Eu estava realmente nervoso, mas eu estava mantendo-me firme. Eu tinha que manter sussurrando ao meu parceiro de dança Dres [Reid], 'Vamo-nos focar, Manter nos juntos', e ele estava dizendo, 'Eu não posso - é Michael!". Depois dessa primeira vez que eu estava bem. Eu apenas queria estar concentrado e permaneceu no meu jogo. "

Os ensaios com Jackson eram esporádicos, diz Grant, porque ele tinha tanta coisa para fazer.
"Ele tinha um monte de outras coisas para fazer, tanto quanto sua voz, como trabalhar com os seus "segunda voz" e ele tinha muito a ver com os trajes ... Ele não podia ficar apenas no ensaio todo o tempo. Ele tinha muito que fazer com a turnê - colocar a coisa toda em conjunto. "

Tendo dominado as rotinas cedo, Grant diz que os dançarinos freqüentemente saiam do ensaio para assistirem ao show de Jackson, com efeitos especiais e "números lentos".
Quando chegou à escolha de músicas lentas, Grant lembra que Jackson enfrentou um dilema sobre a possibilidade de incluir "Human Nature" ou "Stranger In Moscow" como sua primeira balada.

"Eu lembro-me de assistir Michael cantar e ensaiar "Stranger in Moscow". Ele estava tentando descobrir o que se deve fazer - se quisesse fazê-lo como um medley, se ele quisesse apenas juntar os dois lá dentro ou talvez incluir um como um encore . Michael estava apenas tentando músicas diferentes, vendo o que ele tinha sentimentos para as canções, quais foram as favoritas dos fãs, mas também de escolher aquelas que tem de caber dentro de uma lista de todo o conjunto para a excursão. Havia muito disso. "

Michael tirando proveito.

Embora Jackson esteve presente e envolvido, Grant levantou as sobrancelhas quando ele declarou numa entrevista recente que sentiu desde cedo que Jackson estava a aproveitar.

"Eu senti como às vezes eles questionavam Michael sobre as coisas e eu não entendia isso porque Michael é o artista", explica ele.
"Eu senti que tudo o que Michael dizia sobre entretenimento, todos nós deviamos apenas ouvir e seguir os seus sentimentos. Se ele não se sente bem sobre algo ou se algo não está certo, ele deve apenas ter esse direito de fazer isso."



"Para mim era apenas questionável ... eu estou tentando encontrar o caminho certo para dizê-lo ... Se eles realmente estavam empurrando-o para fazer isso ou se ele sabia o que era suposto ser feito. Eu me senti como em a linha de fundo, como um artista, você deve ter a sua opinião. Se você não se sentir bem sobre qualquer coisa que você não deve fazê-lo. Mas acho que as pessoas são pessoas, sabe, e às vezes foge das situações um pouco. Mas, no final foi muito bem resolvido. Michael tem seu caminho e as coisas foram resolvidas. Eu não quero dizer mais nada sobre isso. "

Os dois ultimos ensaios.

Durante os dois últimos ensaios Jackson realmente retrocedeu na engrenagem, diz Grant. "Eu acho que ele realmente sentia que estava tudo em ordem. Todos nós realmente sentimos que estava tudo em ordem nos últimos dois ensaios. Foi apenas um sentimento diferente naquelas últimas duas noites. Michael foi muito ele, muito mente aberta sobre as coisas. Ele era apenas vida no palco. Seu vibe todo era apenas diferente. Era como se ele fosse realmente a ligação connosco e com a música. Apenas parecia tudo feito. Foi como, 'OK, eu posso dormir esta noite ". Ele tinha um caloroso sentimento naqueles últimos dois dias. Saímos de lá com um sorriso na nossa cara. "

Grant descreve o ensaio final, bastante normal, apenas mais um dia de trabalho. "A rotina da última vez que eu lembro de ter feito com ele foi Thriller. Ele fez outras coisas, outras músicas, e percorreu o show todo. Tive um problema com a minha máscara naquele dia - a minha máscara de Thriller. Estava muito apertado no meu rosto e era difícil respirar. Foi um ensaio muito bom. Antes de sair ele disse que iria ver-nos amanhã e "bom ensaio!", com um sorriso no rosto.

Acabou!

No dia seguinte, diz Grant, quando chegou aos ensaios soube que Jackson havia sido levado para o hospital.

"Estávamos ensaiando e esperando por ele para entrar", diz Gran.
"Então as pessoas começaram a receber telefonemas. Muita gente so adesligavam seus telefones porque estava ficando ridículo. Meu telefone nunca tocou tanto na minha vida. Estávamos todos orando em separado e, em seguida, quando finalmente todos começaram a se reunir para rezar juntos, na nossa última oração eles vieram e disseram-nos que Michael tinha partido."

"Nós ficamos quebrados por completo. Muitos de nós apenas se separaram do grupo e foram para seus proprios próprios e foi como se o estádio inteiro estava chorando. Era o pior. Foi um dos piores dias da minha vida. Foi o término de algo que ia ser tão grande e tão surpreendente. "

Actuando no Memorial

Dentro de dias os dançarinos estavam de volta para os ensaios, tempo para se prepararem para o Memorial, onde eles realizaram "Will You Be There" com Jennifer Hudson. "Foi uma coisa bonita e nós pensamos que era adequado para o seu funeral", diz Grant. "Queríamos fazer algo que veio de nós."

A canção foi originalmente ensaiada para o This Is It, mas sua inclusão não foi confirmada.
"Fizemos isso algumas vezes e ele estava sorrindo. Foi uma sensação boa. Foi como um passeio com a reprodução de música e outras coisas. Ele cantou um par de linhas, mas a coisa com o Michael é que ele sempre dizia para não todo. Salvá-lo para os fãs. Salva-lo para a audiência. "



Ensaiando para o memorial de Jackson foi uma experiência emocional, diz Grant.
"Foi quando estávamos ensaiando com Jennifer Hudson que realmente ocorreu-me - 'OK... realmente ... ele não está aqui. Isto não é um sonho." Foi quando eu realmente me apercebi. Eu comecei a chorar. Eu não poderia mantê-lo dentro - o grupo se abraçou a mim porque eu sou tão calmo - assim começaram a chorar como o que fez todo mundo.
Mekia [Cox] começou a chorar, então Dres começou a chorar e, em seguida, outras pessoas começaram. Lembro-me de Jennifer estava a olhar para nós como, "Wow".

É claro que Grant foi profundamente afetado pela morte de Jackson. Sua voz tornou-se silenciosa e sombria quando lembra o rescaldo.
"Esse dia, é difícil para mim porque eu tenho que responder a tantas perguntas quando colido com as pessoas. Meus amigos e família entendem entao não me perguntam muito sobre isso, mas é difícil falar com os fãs, às vezes. Ainda não superei. Eu tenho sonhos sobre isso. "

Grant também se sentiu conflituoso quando os dançarinos foram convidados para atuar como recepcionistas no funeral privado de Jackson. "Eu sendo jovem - eu não lido com a morte e funerais facilmente. O funeral inteiro foi muito emocionante para mim. Mas, ao mesmo tempo, eu tinha que manter um sorriso no rosto para a família ou de manter um sorriso no meu rosto para os filhos para que eles saibam que vai estar tudo bem. Eu estava sofrendo, mas eu senti-me fora do lugar, porque eu senti que deveria ser tempo de familia. Eu tinha um monte de emoções misturadas.

O lançamento de "This Is It" também inspirou emoções.
No momento do lançamento, Grante deu uma entrevista dizendo que iria esperar para o DVD. Hoje ele diz que ainda tem dificuldade para assistir. Ele também está confuso com algumas das escolhas que foram feitas a respeito do que foi e não foi incluído. "É engraçado porque os bits que você vê, ele não estava performando por completo. Houve tempos em que ele realmente, realmente ele fazia a faixa toda. Há um monte de coisas que não foram mostradas no This Is It. EU realmente não sei porque é que esse material foi deixado de fora. "



Fonte: http://mjneverland.ptforuns.com/viewtopic.php?f=10&t=893

Nenhum comentário:

Postar um comentário