It's All for L.O.V.E.

Quem Nos Visita?


Visitor Map

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Gravação contradiz as afirmações feitas pelo médico Murray

Novas evidências do dia da morte de Michael Jackson foram reveladas nesta quarta-feira (23). Segundo informações do "The Sun", a conversa telefônica, feita momentos depois do cantor pop sofrer uma parada cardíaca, foi divulgada. A gravação pode ajudar a esclarecer o que realmente aconteceu na noite da morte do cantor e o suposto envolvimento do médico Conrad Murray com a tragédia.



A conversa teria sido feita entre o Corpo de Bombeiros de Los angeles e o hospital UCLA. "O paciente Michael Jackson, o cantor pop. Ele não tem pulso e não está respirando. Tentamos ressucitá-lo sem êxito", diz uma voz na gravação. "Fizemos tudo que podíamos. Deveríamos ter prestado ajuda cinco minutos antes. Isso não parece bom."

Um porta-voz do LAFD não confirmou se a voz na gravação é de um de seus funcionários. "Não posso confirmar se é de uma pessoa de nossa equipe. Pode ser. Eles se referem a Michael Jackson, mas nós não costumamos dar o nome das pessoas."

Se a fita for mesmo verdadeira, ela contradiz as afirmações de Conrad Murray, que contou que o cantor ainda tinha pulsação quando foi colocado na ambulância. Inicialmente, o médico disse aos bombeiros que administrou o analgésico Propofol para Michael Jackson por volta das 22h50 e o deixou no quarto sozinho por dois minutos. Segundo ele, momentos depois o cantor começou a passar mal. Mas, de acordo com o tablóide, o pedido de socorro não foi feito antes da meia noite. Os promotores que estão investigando a história afirmam que Murray deixou Michael Jackson sozinho por mais de uma hora depois que ele tomou o remédio.

Fonte: http://mjneverland.ptforuns.com/viewtopic.php?f=10&t=821

Nenhum comentário:

Postar um comentário